Pages

Subscribe:

15 julho, 2010

Qual o livro que...


Já vi em vários blogs essas listas de livros que mais gosta, que mais odeia, que indicaria pra alguém e ect, e resolvi fazer a minha própria lista mas com categorias um pouco diferentes. =)

Livro apresentado por outra pessoa
O caso de Charles Dexter Ward, de H.P. Lovecraft. Já tinha começado a ler um livro do Lovecraft mas não tinha gostado por causa da temática de alienígenas e afins, mas aí meu namorado, grande fã dele, me emprestou esse, que li e acabei gostando da história (sobre magia negra e possessão demoníaca) apesar de não curtir muito o modo como ele escreve.

Livro mais inovador
Um homem que dorme, de Georges Perec. Eu lia e parecia que os movimentos (ou falta deles) do personagem eram meus, provavelmente essa sensação se dá por que o livro é escrito em 2ª pessoa, coisa que eu nunca tinha visto antes. É uma história sobre a inércia, a falta de movimento, o tédio, o isolamento, a passagem crua do tempo. Excelente.

Livro de poesia
O Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles. Não sou grande fã de poesia, não tenho grandes conhecimentos nessa área e acredito que por gostar muito de prosa, a poesia que mais me agrada é a poesia narrativa. O Romanceiro fala sobre a Inconfidência Mineira do século XVIII, e claro, como poesia, não só fala, mas sente, traz em seus versos muito lirismo. A forma como Cecília reconta a história é realmente muito tocante.

Livro com mais referências
O livro dos seres imaginários, de Jorge Luis Borges. Gosto muito de Borges e acho que se tivesse que escolher o melhor autor do mundo, escolheria ele. Assim como gosto dele, também adoro livros que têm muitas referências que você anota pra depois ir atrás das respectivas obras e autores. Esse livro, na verdade, é um compêndio de seres literários/folclóricos que Borges reúne e faz um breve resumo de cada um: falando sobre o ser, por quem foi criado e no imaginário de que povo habitava. Cada ser traz toda uma cultura, um modo de ver o mundo e muitas, muitas referências a obras e autores diferentes.

Melhor título de livro
A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera. Esse título é fabuloso, transcendental, suave. Só pelo título já vale a leitura. E melhor ainda : a história é muito boa também, o personagem principal é extremamente cativante assim como suas idéias sobre a vida, o amor, o tempo. E o interessante é que a história é contada não só sob a perspectiva dele, mas também de outros personagens importantes na história.

A prosa mais poética
Lavoura arcaica, de Raduan Nassar. É um texto em prosa mas ficaria muito bem em versos. Muito lirismo, muita tristeza, muito sentimento pululando na margem.

Livro que só você leu
Não verás país nenhum, de Ignácio Loyola Brandão. Esse é o livro que eu tenho a impressão que só eu no mundo inteiro li. Nunca ouvi falar em ninguém que tenha sequer ouvido falar nesse livro. Não sei se é tão obscuro assim, mas a história é. Uma mistura de futurista, decadentista e com um toque de ficcão científica.

Autores mais lidos
Machado de Assis e J. K. Rowling empatados com 4 livros cada (???). Só na minha lista mesmo pra os dois autores aparecerem juntos...!

E você? Faça sua lista e use as categorias mais impensadas...!

5 comentários:

Eduardo Silveira disse...

Oi, Lívia!

Muito legal o post. leituras curiosíssimas. Olha, tem alguns livros pra botar lá em "Livro que só vc leu" rsrs. E quanto a esse do loyola, vou engrossar - em parte - suas estatísticas. Já ouvi falar, conheço o tema do livro e tenho aqui em casa, mas ainda não li ^^
Tbém acho belíssimo o título do kundera. deixa eu ver se lembro de outros que gosto...humm... gosto daquele do neruda "vinte e um poemas e uma canção desesperada" (20 ou 21?). Outro título que gosto (mas aí já é um conto, não um livro) é "Linda, uma história horrível", do Caio F. Abreu. Ixi, tem muitos títulos bons ^^

E fiquei muito interessado no livro do Peres. Aliás, catei uma foto do google e cadastrei-o no skoob. adicione-o ^^

até

djamb disse...

"A insustentável leveza do ser" é mesmo o melhor título de sempre! :)

Meu nome não é Jonny disse...

"É uma história sobre a inércia, a falta de movimento, o tédio, o isolamento, a passagem crua do tempo"

Caramba, li um livro assim dia desses: http://www.skoob.com.br/livro/37099

Adorei o post.

Lívia disse...

Obrigada pelos comentários, meninos!
abraços!

Ademar Júnior disse...

Oi Lívia,

Adorei o post, ótimas dicas de livros!

Nunca mais visitou meu blog!

Beijos
Ademar Júnior
http://coolturalblog.wordpress.com

Postar um comentário